Busca de vídeos e jogos:

 

Os melhores exclusivos da história no Xbox (TecMundo)

10/07/2017 15:51:03

 

 

 

Quando a Microsoft lançou o primeiro Xbox, em novembro de 2001, muitos duvidaram se a empresa conseguiria se manter em um mercado no qual outras gigantes, como Sony e Nintendo, já haviam se estabelecido.

Quinze anos depois, a gigante de Redmond se consolidou como uma potência do setor, chegando hoje em sua terceira geração de consoles. Claro que, no decorrer desse tempo, muitos foram os jogos que fizeram parte do catálogo da história do Xbox, dos quais alguns foram e continuam como exclusivos. Reunimos alguns deles, que deixaram um legado importante na trajetória da marca, a qual, em breve ganhará um novo integrante com o lançamento do Xbox One X, no final de 2017.

Uma observação: nem todos os títulos listados abaixo são, de fato, exclusivos dos consoles Xbox. Boa parte deles também ganhou versões para PC através da Microsoft Store/Windows. Por isso, decidimos incluir esses games, já que, nos mais recentes, a companhia oferece cross-play em ambas as plataformas. Vamos lá: 

Ori and the Blind Forest (PC, One)

Este exclusivo das plataformas da Microsoft é um grande exemplo de que bons jogos não precisam ter dezenas de horas de duração para contar uma boa história. E isso a desenvolvedora Moon Studios alcançou com muita competência. Controlar Ori, o simpático bichinho que dá nome ao game, pela floresta de Nibel é divertido e ao mesmo tempo perigoso, já que não se trata de um jogo tão fácil assim. É pela perspectiva do personagem que adentramos em uma aventura cativante e cheia de emoções num dos melhores títulos independentes disponíveis para Xbox One.

 

Halo: Reach (360)

Alguns anos antes da Bungie lançar Destiny, o estúdio foi responsável pela produção de outro shooter de ficção científica bastante popular e exclusivo dos consoles Xbox. Halo, ao contrário de Destiny, marcou toda uma geração não apenas pelo excelente gameplay – algo que a desenvolvedora americana fez com maestria em ambos os títulos –, mas também por sua narrativa conectada aos eventos de toda a franquia, da qual uma das obras-primas é Halo: Reach.

Servindo como prequel para o primeiro game, Halo: Reach colocou no centro da história um grupo de soldados Spartans pouco conhecidos e sua jornada para garantir a sobrevivência da humanidade. Obviamente não vamos dar spoilers, mas o que você precisa saber é que, sem os eventos de Reach, Master Chief e Cortana nunca teriam conseguido se tornar a dupla que salvaria a galáxia nos títulos seguintes. Melhorias também foram implementadas no modo multiplayer, o que fazem de Halo: Reach um dos jogos mais importantes do Xbox 360 e de toda sua geração. 

 

Quantum Break (PC, One)

Quantum Break foi anunciado como uma aposta da Microsoft em escala cinematográfica, com direito a celebridades no elenco e até uma série de TV paralela aos eventos do game. Acontece que o título foi vítima da própria expectativa e acabou sendo esquecido rapidamente pelos jogadores.

Mas não se engane: Quantum Break é uma produção da Remedy Entertainment que vale a pena. A trama fala sobre os perigos da viagem no tempo e como alterar certos eventos pode causar efeitos irreversíveis na vida de todos. Possui um sistema de combate bastante sólido, semelhante ao de Max Payne (haja câmera lenta!), e boas performances dos atores, entre eles Shawn Ashmore (X-Men), Aidan Gillen (Game of Thrones) e Lance Reddick (Fringe). 

Dead Rising 3 (PC, One) 

Apesar de não ser uma franquia de destaque, Dead Rising tem uma proposta semelhante à dos jogos da série Just Cause: até existe uma história de fundo, mas o principal objetivo é provocar o caos de diferentes formas e com uma gama variada de armas e equipamentos. Dead Rising 3 eleva esse conceito ao extremo; tanto que o título foi um dos carros-chefe no lançamento do Xbox One em 2013 e, até hoje, é um dos exclusivos mais marcantes do console.

 

Sunset Overdrive (One)

Sunset Overdrive foi uma aposta da Insomniac Games nos jogos de mundo aberto. Com as mesmas tiradas de humor da série Ratchet & Clank, o título coloca você em uma cidade maluca que mais parece um parque de diversões: a movimentação acontece através de trilhos suspensos, como uma espécie de montanha-russa, enquanto a ação envolve eliminar o caos causado por criaturas mutantes. Um verdadeiro parque de diversões que merece sua atenção, com muitas possibilidades de customização e habilidades.

 

Forza Horizon 3 (PC, One) 

Apesar de terem uma ou outra função inédita, jogos de corrida tendem a ser sempre a mesma coisa: você percorre pistas com diferentes formatos e sob circunstâncias de tempo variadas. E só. Contudo, Forza é uma série que, desde sua estreia no primeiro Xbox, tem se aprimorado constantemente com novidades que você não costuma encontrar em outros títulos do gênero. O ápice veio em 2016 com Forza Horizon 3, que levou a adrenalina e os desafios do game para belas paisagens da Austrália e trouxe nada menos do que 350 carros. É um jogo indispensável no catálogo de exclusivos do Xbox One.

 

Titanfall (PC, One, 360)

Sejamos francos: Titanfall teve um modo campanha raso e indispensável se comparado ao multiplayer, o verdadeiro destaque do game. E foi por causa do modo online que o título é não somente um dos melhores exclusivos de Xbox, mas quase como um divisor de águas no gênero FPS. Isso porque muitas mecânicas vistas em Titanfall foram copiadas por Call of Duty. A série pode não ter a popularidade de outras franquias, mas certamente ajudou a pavimentar um novo caminho para os jogos de tiro em primeira pessoa.

 

Rare Replay (One)

Para celebrar seus 30 anos, a desenvolvedora Rare lançou em 2015 uma coletânea com 30 de alguns dos maiores sucessos do estúdio. Todos os títulos receberam melhorias visuais para rodar da melhor forma possível no Xbox One. Apesar de não conter jogos que a companhia produziu em parceria com a Nintendo, o pacote é um grande tributo à história da empresa e traz games como Kameo: Elements of Power, Banjo-Kazooie, Battletoads, Jet Force Gemini, Blast Corps, Perfect Dark e Conquer s Bad Fur Day.

Halo: The Master Chief Collection (One)

Por falar em coletâneas, outro pacote que pode ser do seu interesse caso você tenha um Xbox One é a coleção que traz os primeiros quatro jogos da série Halo, que inclui Halo: Combat Evolved Anniversary, Halo 2, Halo 3 e Halo 4. Não se trata apenas de um porte para o console mais recente da Microsoft: todos os games receberam upgrades gráficos e de áudio, e os conteúdos extras de cada jogo já chegam desbloqueados – inclusive os de multiplayer. Se você nunca jogou nenhum Halo, essa talvez seja uma boa oportunidade.

 

Gears of War 2 e 3 (360)

Uma das franquias mais queridas e aclamadas pelos jogadores de Xbox, Gears of War se mantém como um dos grandes exclusivos dos consoles da Microsoft. Nosso destaque vai para o segundo e o terceiro títulos, que encerram a primeira trilogia da série de forma épica e muito satisfatória, com a ação característica da saga e alguns dos momentos mais impactantes na vida dos personagens – incluindo o destino de Dominic Santiago, considerado um dos maiores ápices em toda a série.

 

Alan Wake (PC, 360)

Ao contrário de Quantum Break, Alan Wake é uma produção que muitos jogadores ainda não esqueceram. Também desenvolvido pela Remedy, trata-se de um survival horror com forte apelo à narrativa, da qual o personagem principal tem sua perspectiva de realidade questionada ao longo de toda a aventura. À primeira vista, lembra um pouco Silent Hill, principalmente por conta da paranoia e do terror vividos pelo protagonista. Mas acredite: Alan Wake é um jogo único em todos os sentidos.

Lost Odyssey (360) 

Lost Odyssey é um clássico RPG japonês escrito e supervisionado por Hironobu Sakaguchi, criador da série Final Fantasy. Logo, o título compartilha muitas similaridades com seu "primo distante". O jogo pode não figurar entre os maiores JRPGs de todos os tempos, mas oferece um bom equilíbrio entre história e gameplay. Além disso, foi uma das primeiras produções a chegar ao Xbox 360 – um console ocidental, hein – numa época em que o mercado estava escasso de RPGs de qualidade.

 

Crackdown (360)

Mais do que compará-lo a um clone de GTA, o primeiro Crackdown se destacou por apresentar seu protagonista como um verdadeiro super-herói – e sem se inspirar em personagens vistos nas histórias em quadrinhos. O jogador pode correr pelas superfícies de prédios gigantescos, pular por vários metros, voar e se munir de vários superpoderes na luta contra o crime organizado. É um game com movimentação frenética ambientado em um mundo aberto e que, em breve, ganhará uma sequência no Xbox One.

 

Fable II (360)

O fechamento da Lionhead Studios pegou muita gente de surpresa, pois era uma das desenvolvedoras mais conhecidas do mercado e responsável por produções de destaque. Entre elas está Fable, um dos grandes RPGs da última geração que trouxe a era medieval de forma memorável.

O primeiro Fable não foi muito bem recebido pela crítica por não entregar tudo o que o criador Peter Molyneux havia prometido. Só que essa situação não se repetiu em Fable II: uma sequência que cumpriu todas as expectativas ao manter as principais características do antecessor dentro de um mundo cercado de magia e muitas emoções, ainda mais porque as ações do seu personagem determinam se ele será bom ou mau. Uma fábula tradicional para novatos e veteranos da série. 

Jade Empire (360, PC)

Lançado pela BioWare em 2005 exclusivamente para o primeiro Xbox, Jade Empire ganhou status cult ao longo dos anos. Trazer o cenário da China Imperial com um toque de misticismo, atrelados à tradicional fórmula de RPG ocidental da BioWare, deu muito certo. Era uma espécie de Knights of the Old Republic com toda essa ambientação fantástica.

 

E você, quais favoritos tem?

E se liguem: também temos outra listona dos exclusivos do PlayStation no ar. Clique aqui, confira e comente!

 

Fonte: TecMundo



 


Voltar